Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

4/3/09















Perguntava-me se ao escrever um poema,
o poema nascia ou morria.





Se era esse o feliz começo do caminho da palavra
ou era o alegre final do que a palavra tinha caminhado,
se era o pássaro voando ou posándose.




Então,
decidi escrever um poema sobre a pergunta
e vi que pássaros de palavras
vinham e se iam com a mesma liberdade
com a qual eu escrevia o poema,
sem havê-lo começado nunca,
sem nunca havê-lo terminado,
sem resposta possível,
voando.








2 comentarios:

~pi dijo...

pássaro

voa

pás~saro

anda

pássaro

fl~ui

( alguns também

nadam

e todos são

( um dia de cada vez

felizes




~

~pi dijo...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~

~~~~~

~~~

~~

Archivo del blog

DMCA.com