Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

11/5/09




~



























esta noite não me deitei, nicholas
ficámos a arrumar a roupa de inverno, a chás e café

( ajudaste aqui e ali,

como se fizesse sentido,
sorrias à minha ingenuidade

mas continuei imperturbável,
( bem sabes como sou obsessiva

como sou clara e limpa nestas coisas

porque havemos de deixar tudo desarrumado
cada vez que mudamos de lugar!?

pois, eu sei, eu sei, a nossa arrumação
é uma coisa muito própria,
pronto, é, mas não faz mal,

e arrumei e erromei [
como se me fossse possível

esperar por um amor mais vivo que o teu
( como se tal existisse,

e assim, como se fosse possível

sobreviver às papoilas,
às giestas,
às 3 pintinhas dentro das flores da esteva
) lembras-te?
( eventualmente às íris do arco
à brancura sexual das luas

ao sopro afrodisíaco de maio,
ao sorriso de cinza luminosa que me davas

à tua líquida língua
) voz rosa-fruto







[ foto de maria flores, alterada







.

4 comentarios:

pi&phi dijo...

[ e sim, bem sabes, se não estivesses ali, a escrever sobre mim,

tinha escrito eu
a s carta s

a dizer como era tão
verdade como incrível

o que os vivos sabiam
e o que nós sabíamos
por dentro de nós,




~

Anónimo dijo...

Treis pintinhas, sim, nao tou morto, mais me lembro e tambem tenho um amor vivo.

R.

Anónimo dijo...

Um poema tao íntimo como quente, no meio da noite.

R-Eu

VFS dijo...

eis o calor da criação que aquece os desejos dos corpos ao luar

Archivo del blog

DMCA.com