Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

23/11/09




















Soava em um labirintho escuro

a voz de um corvo preto que dizia:

“Nunca mais”





Uma menina desnudava Barbies e as vestia,

alheia ao corvo, a sua mensagem

e a todos os corvos do futuro.



Sobre a mesa cerveja e cha,

frio e calor para a garganta.



Um senhor de idade falava de seu pai

como se falasse de um desconhecido,

ainda sabendo quase tudo sobre ele.



Uma viola fazia ruídos estranhos,

cacofonias de um quarto noturno e visitado.



E entre todo esse quadro,

minha mão estava cheia de uma luz

que provinha de mim mesmo,

que tinha chegado a mim voando num pássaro,

que não era um corvo,

eras tu,

e “Nunca mais” voltarei a abrir a janela.










2 comentarios:

~pi dijo...

a.maior.subversão

de.nunca.mais.

fazer

sempre,,,,




~~

~pi dijo...

a.mais

positiva

sub

versão:

do.nunca.mais.

fazer

sempre,,,,:)




~

Archivo del blog

DMCA.com