Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

23/12/09


















Não sabes quanto te amo,
dizes-te olhando para mim,
foi depois de ter deitado
o Moët Chandon ao jardim.


Sim te falo de sensações,
dos sentidos que eu percebo,
tentando partilhar emoções
que eu por estar vivo recebo,
sim inocente-mente digo
que me sinto bem sentado
entanto o ar dum suprido
me faz sentir-me soprado,
sim eu em nada disto acho
nenhuma deslocação de ti
porque é a ti a quem falo
dos sentidos que eu senti,
acredita que há em mim
vontade de estar ao teu lado,
porque se não fosse assim
o que sinto não seria contado
e o que conto não seria a ti.
Ou preferes-me só e calado
a beber champanhe no jardim?



Não sabes quanto te amo,
dizes-te olhando para mim,
e não o sei, isso é claro,
nem tu sabes o que eu te amo a ti.










1 comentario:

~pi dijo...

sabe a möet-chandon

sabe o möet,

como sabe o homem

à margem da ponte

o que nos segue

por dentro dos olhos,

[ sabe ele

o que é,

que não é mistério,






~

DMCA.com