Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

18/7/09





~







conta-me uma história








conta-me uma história sem teclas
conta-me uma história
de balões e tardes infindáveis
conta-me como era o céu de certa madrugada
como a lua parecia colada - mas não porque
desmaiava lenta numa curva imaginária
conta-me tudo o que não comece por era uma vez
nem acabe em viveram para sempre ou expiraram


uma que acabe o torpor dos dias
a máscara de ferro da armadura sem olhos
o mar esfomeado - alegórico infortúnio
conta-me uma história de fontes e poejo e mãos de fada
ignorando hieronymus, bilal e nós mesmos
,something before destruction
conta-me a história dum floco imenso de vida dum
espanto à solta - sobrevivente de infernos e trevas





















.

3 comentarios:

Anónimo dijo...

Coisas que doem e não á história que conte! Só a música diz.

in_side dijo...

de certo modo,

sim

mas há que acreditar

] não esperando, porém,

nada,

[ entendo o que

sentes e

escreves,

sim,



*

elpoetaquenuncaexistio dijo...

Contar as historias que queres ouvir é simples.
Tu nao queres uma historia contada, queres mesmo vivila.

DMCA.com