Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

21/2/09






Este poema,

quase com toda segurança,
vai morrer sem sentido,
igual que morrem as crianças,
como o fazem todos os poemas que escrevo.





E se alguma dúvida sobrevive,
se ainda fica um átomo de sentido nele,
será unicamente o de matar-me
e eu não quero morrer aqui.





Vou-me embora deste poema sem sentido,
passando acima do meu cadáver.







No hay comentarios:

Archivo del blog

DMCA.com