Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

18/2/09








Abro a porta de mim,

umbral de transformação emocional,

esse não espaço pelo que a pele

perde ou ganha o que levo dentro,

esse intercambiador de enlace

entre o que entra e o que sai,

sempre nesta viagem

e pergunto: Há alguém aí?



Mas não sei sim pergunto desde fora de mim a mim mesmo,
ou sou eu mesmo o que pergunta.




Em ambos casos,
a porta de mim abre-se,

porque eu acho que é preciso
querer-nos habitar
e que nos habitem.






1 comentario:

luci dijo...

escolho o mais

simples

habitar

da tarde

( da fruta que

como

ao olhar da árvore

onde a voz

me traça

( que mergulhe e

nade ~

Archivo del blog

DMCA.com