Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

21/2/10























Amor,

põe teu rosto em minha boca,

deixa-me beber o que teu rosto diz,

quero que entre em mim o teu sorriso,

que as marcas leves dos teus olhos queiram-me,

que teus dentes brancos mordam-me.






Amor,

vem ao coração da minha alma,

aquece com teu olhar quente meu frio,

faz-me esquecer o que me atormenta,

este medo de viver que tenho.






Amor,

amor meu,

meu amor,

dá-me a certeza que o transparente

pode ser visto atraves de ti

e que grita-lo ao mundo,

não é tão absurdo como calá-lo.









1 comentario:

a que ainda vai dizendo dijo...

amar não depende de dizer

muito menos de gritar

porém, cada um pode escolher

e por vezes sim, como agora
mesmo,

poderei sentir a falha redundante das palavras

como noutros momentos o seu esplendor

branco - branco sempre,
incerta anestesia

o seu efeito suave,




~

DMCA.com