Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

12/2/10



















Minha boca respira do ar a voz que te diz desde meu peito.






Tu és em meu peito
e meu peito vive em mim,
eu dele.






E é tão inevitável falar contigo dentro,
como o é parar o ar que respiro
e morrer sem dizê-lo.





Por tanto digo-te com meu peito,
retorno-te ao ar,
enquanto espero o regresso de tua boca a minha carne,
a volta das cicatrizes de teu peito,
tua chegada fora do poema e as palavras.







Eu sei que no ar,
estão os nomes de todos os poetas mortos.








1 comentario:

a-que-respira-borboletas dijo...

eu só sei que estou acordada e viva

eu só sei que tudo-em-ti,
[ nada de palavras te digo

nada,



,

DMCA.com