Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

6/10/09









Vou a cortar-me as veias,

para que saia de mim o sangue,

para que caia sobre as tuas mãos,

mãos cheias da terra do coração,

coração no qual vive a vida,

vida à qual chegarei no meu sangue.








Vou a cortar-me as veias,

para que saia de mim o que sou

e morra entao o que vou morrendo,

nascendo assim o que mato,

indo eu no que flui.








Vou a cortar-me as veias,

algum dia vou a cortar-me as veias,

e escrever esse poema que me aguarda.




















2 comentarios:

~pi dijo...

tenho-sangue

[ sangue

tenho

peço

fontes

quero

água,

á g u a

á

g

u

a





~

Laura dijo...

Lindo!!!

DMCA.com