Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

19/6/16



















3 comentarios:

~pi dijo...

soam-me palavras sem mancha visível.
sente-se a ausência.

digo que "se amor amasse"... não existia a canção e tudo seria bem simples, presente, indicativo: como abraçar é.

o amor (não romanticamente doente) nunca se fez de emoções, imediatismos e, menos ainda, de ausências.

EU dijo...

Assim é entao, nada visivel nem nada sinceiro, só uma cançao estúpida.
As emoçoes nao se sentem nem se cantam.
Os sentimentos nao se dizem.
Ausencias, sim, ausencias de credibilidade e de confiança, a base do amor que ama.

~pi dijo...

tu nunca poderias dizer o mesmo... nunca, certo?
pois pensa nisso; ou sente, se podes.
tu nunca foste abandonado.
tu abandonaste múltiplas vezes - sem qualquer razão até hoje explicada.
que sabes de amar?
quando se dizem as emoções, se não há um sentimento firme que as sustente, não serve.
se não há uns olhos outros que sejam os teus também, para que serve falar de amor?

DMCA.com