Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

20/2/15


~







dizia nada a dizer e
queria ver aquele lugar que de direito lhe pertencia
não fora Adão e dizia
 - (apesar de Adão)
nos ter apartado e nos ter traído


segundo as palavras prefiguradas
derrubada a força dessa pedra escrita 
convocava limpa a vozeira do dia:
 letras de sopa no poço fundo
que o seu balde abria.


~

2 comentarios:

Anónimo dijo...

Semelha um poema um bocado....buraco.
Nao sei.
A foto tem luz, o poema um bocado de escuridao.
Para mim, obvio.

Anónimo dijo...

é um buraco de renascer, creio... (eu não me conheço quase nunca no que escrevo.)

DMCA.com