Escucho el silencio del tiempo que pasa _ escuto agora o silêncio, me quedo con él y en él, entro en las letras y en los números _ atravesso letras e números, embalo e calo _ las callo y los cuento, busco el prodígio de la relación constante _ afloro o prodígio da relação constante, a assombrosa claridade do silêncio, o encontro transparente da verdade _ el asombro cintilante de la vida ____ SOY pi & phi _

27/9/09





~








li uns poemas duma mulher que espera eternamente
um homem que não conhece
os poemas duram há anos e são quase todos iguais
alinham-se como um longo exílio
multiplicando-se [ calados

ela chama-lhe meu amor [ que pra quem não sabe
em todas as línguas se diz mi amor


(( mi amor miamormiamor r r r r r r r



o homem afirma que a mulher não o conhece
e assim... parecem um livro de duras ou de yourcenar

diz ele que nunca se viram nem faz ideia

a mulher faz crer que sim em tudo o que escreve
sobre a margem passados - esboços de preia-mar

] é muito intrigante e algo inquietante
como cravo espetado em olho nu
ou pé de rosa
ou livro d´horas
[ como orquídea vermelha crescendo
por dentro do estrangeiro no peito
de camus

como voo inusitado numa só asa,




.

3 comentarios:

Um maluco dijo...

Meu amor, em galego, dizese meu amor, é igual que em portugués.

Sobre a historia do poema:
Há coisas assim, que duram muito ou tudo o tempo sem tan sequer ter sido,
messmo o amor.

in_side dijo...

cachos de palavras, pois claro,

mechas que não ardam,

[ sempre é

mais seguro que andar

na rua,





*

Rayuela dijo...

vengo de
passages*****

todo
esto
es
tierraguairefuego
mil
ma
ra
vi
llas


beso*

DMCA.com